Como publicar um e-book na Amazon #1 – As Vantagens

Fazia um bom tempo que eu não publicava alguma dica de escrita por aqui. Acho que estou preguiçosa. Não sou uma expert, pelo contrário, estou tão no início da minha carreira quanto vocês, mas vejo esse tipo de postagem mais como uma troca de conhecimento. Aliás, se vocês tiverem alguma dica bacana, não deixem de comentar, certo?! 😉

Apesar de já ter publicado um romance por uma editora e vários contos em mais de uma, eu ainda gosto e muito da auto-publicação, especialmente via Amazon, que traz várias facilidades e vantagens se você for exclusivo, como até 70% de direitos autorais (de longe a melhor coisa do KDP Select, acho que todo autor concorda comigo! rs), promoções gratuitas (que também são ótimas!) e, mais recentemente, o Kindle Unlimited, no qual você pode ler até 10 e-books de graça por mês, pagando uma mensalidade de R$ 19,90. Tipo um “Netflix para livros” (e eu também andei me rendendo ao Netflix, mas isso é história para outro post). Ah, e o primeiro mês é gratuito!

2936.7573-amazon-brasil

Mas por que a auto-publicação é interessante?

Primeiro, ela é barata. Você só vai pagar se vender; dependendo do preço do seu livro, você pode ganhar 35% ou 70% de direitos autorais – ou royalties. A Amazon paga 70% (somente se você estiver inscrito no KDP Select) a partir do preço de capa do e-book a R$ 5,99; qualquer valor abaixo disso, o autor receberá 35%. Mesmo assim é uma boa quantia, visto que as editoras pagam valores entre 5% e 15% do preço de capa (que eu já tenha visto, se souberem de alguma editora que pague mais, me digam!). No caso de e-books, há editoras que pagam ate 25% em direitos autorais. A percentagem de 70% é fantástica, mas, claro, o preço do e-book vai ser mais caro e você terá que convencer o leitor a investir na sua obra – algo sempre complicado, ainda mais para autores iniciantes, que não possuem muito poder de marketing. De qualquer maneira, mesmo que você só venda um e-book aqui e ali no começo, ainda é incrível ver um dinheirinho pingando na sua conta, um dinheiro que você sabe que veio do seu trabalho e da sua arte, mesmo que seja apenas o suficiente para uma visita ao McDonalds ou uma seção de cinema.

O segundo motivo pelo qual acho válida a auto-publicação é a chance de conquistar novos leitores. A Amazon é um espaço no qual você pode apresentar seu trabalho a milhões de leitores, no Brasil e no mundo (você pode até figurar de vez em quando nas listas de mais vendidos ao lado de grandes autores!), e mesmo que você não chegue a ser lido nem por uma centena no começo, cada leitor é importante. Acredito que, se você conquistar apenas um leitor novo publicando dessa maneira, já será uma vitória. Pense que, se esse leitor que gostou do seu trabalho, mesmo que ele tenha pago 2 reais por seu livro, mesmo que ele o tenha baixado em uma promoção gratuita, bem, ele poderá gostar tanto do seu texto que vai comprar o próximo e-book que você lançar e, talvez, até seu próximo romance publicado por uma editora. Fico muito feliz de dizer que já conquistei leitores fantásticos e muito fiéis, que baixaram de graça ou compraram e-books a R$ 1,99, R$ 2,99, e depois adquiram Alameda dos Pesadelos em uma edição física, por exemplo. Lembre-se: você é um iniciante e precisa ser visto.

Mas isso me leva ao próximo tópico…

É preciso qualidade.

Não é porque é um e-book e não é porque a publicação “é de graça” que vai ser feita sem cuidado. Pelo contrário! Dedique-se, dê o seu melhor, seja profissional. O e-book pode não sair perfeito, pode não ser como aquele que você leu da editora X, mas faça o melhor que puder para que ele seja uma leitura agradável, com uma boa diagramação, índice, a menor quantidade de erros e problemas possíveis, uma capa interessante e bem-feita. Tudo isso pode ser simples, mas mesmo na simplicidade há qualidade. Você mesmo pode fazer tudo isso, só é preciso capricho e dedicação.

“Mas eu não tenho dinheiro para contratar um capista ou um revisor, ou não quero fazer tudo isso por um conto que vou vender a R$ 1,99! Como faço?”

Aprenda a mexer no Photoshop (ou em qualquer outro editor de imagens similar)

Você mesmo pode criar suas capas – pelo menos no começo. É claro, muito dificilmente o resultado será tão bom quanto o de um capista profissional… (só não digo que isso é impossível porque, de repente, você se descobre um talento nato na edição de imagens, pode acontecer, oras – e não estou sendo irônica, juro!). Mas, mesmo que você não seja um ÀS no Photoshop, com um pouquinho de dedicação você pode criar uma capa legal. Compre uma imagem ou baixe uma de domínio público (há vários sites legais para isso, indico essa lista de gratuitos e o Bigstock, site que recentemente descobri ser possível fazer download gratuito de uma imagem em alta resolução uma vez por mês). Algumas vezes, se você for criativo, talvez uma imagem nem seja necessária; existem capas minimalistas, especialmente para contos. Procure tutoriais de edição de imagens no Google. Pesquise. Observe capas de outros livros (Não copie! Inspire-se!). Baixe fontes gratuitas na internet, procure tutoriais de como instalá-las em seu computador. Estude. Treine. Não tenha preguiça. No final, tudo é dedicação.

Mas se tudo isso falhar… contrate um capista. Existem ótimos no mercado, já experientes, e alguns tão iniciantes quanto você, procurando um espaço. É questão de procurar, pesquisar, negociar.

Procure um revisor e um leitor crítico.

Não confie no seu melhor amigo, na sua mãe ou n@ namorad@. Eles podem ter receio de estourar a bolhinha de seus sonhos e acabam não sendo totalmente sinceros com você. Às vezes, eles fazem isso sem perceber, acham que o texto é ótimo só porque te amam e você é uma pessoa maravilhosa. Procure alguém imparcial, aquela pessoa que vai dizer a verdade mesmo que ela doa. Aquela que vai dizer “isso está horrível” e “refaça”, mesmo que ouvir essas palavras parta seu coração. Pode até ser que essa pessoa seja um amigo, mas com certeza é aquele tipo de amigo super sincero, aquele que vai dizer que a bolsa nova que você tanto ama talvez não combine com nenhuma das peças do seu guarda-roupa. Mas uma pessoa assim se tornará tão confiável que, quando ela disser que algo está bom, você vai se sentir confiante o suficiente para publicar – e ser lido.

Pessoalmente, tenho duas revisoras fixas, amigas que conheço há anos: a Melissa de Sá e a Nivia Fernandes. Conheço as duas há mais tempo do que conheço meu marido, para vocês terem uma noção. Elas também são escritoras e, principalmente, leitoras. Nós trocamos revisões, tipo uma “camaradagem literária”. Mas as revisões delas não são nada camaradas. Já ouvi muitas verdades, já tive que alterar muitas coisas porque elas pediram. Pra compensar, eu também não sou nada condescendente: também já disse pras duas quando textos estavam ruins e quando estavam ótimos. Revisão é uma questão de sinceridade e humildade; o revisor precisa falar a verdade, o autor precisa analisá-la com humildade. Só assim o texto evolui. A revisão e a leitura crítica, afinal, são para tornar um texto melhor.

Mas, se você não conseguir alguém assim na sua vida… contrate um revisor. Eles geralmente cobram por páginas ou laudas (entenda a lauda), e se o seu texto for pequeno, o valor será proporcional. É outro serviço que vale a pena.

alameda_ebooks

Você pode ler em e-book em vários dispositivos, até no celular!

Tenho medo do que os leitores vão achar da minha história.

Então por que você não começa publicando-a em sites de leitura, como o Wattpad e o Widbook? Eles são ótimos termômetros, com comentários e opiniões de vários leitores quase instantâneas. E engana-se quem pensa que, se algo está publicado gratuitamente em algum desses sites, automaticamente não será vendido porque “já está de graça”. Não mesmo! Primeiro que o seu produto e-book pode e deve ser especial, melhor que o texto cru lá do Wattpad. Quem sabe até com um conto ou um capítulo extra? Uma capa diferente? Segundo: há leitores que estão na Amazon, leitores que estão no Wattpad, leitores que estão no Widbook, leitores que estão em todas as plataformas. O público do Wattpad pode não ser o mesmo da Amazon e vice-versa. E você sempre pode publicar apenas uma amostra do seu trabalho também, como os primeiros capítulos. Há leitores em todos os lugares, você só precisa conquistá-los.

Mas se a sua história não for bem recebida nas plataformas de leitura… bem, talvez seja melhor você reescrevê-la ou criar algo novo. Não tenha medo de recomeçar, certo? E por favor, não publique algo que acredite (ou tenha certeza) que está ruim. O primeiro a acreditar no seu texto precisa ser você. Publicar algo ruim só vai queimar seu filme. Alguns leitores podem achar pontos para criticar, e isso é saudável e produtivo (e certamente vai acontecer!), mas tudo ruim é muito complicado.

Mas é melhor publicar por uma editora ou pela Amazon?

As duas têm suas vantagens e desvantagens, nada é perfeito nesse mundo. Mas ambas as opções são valiosíssimas. Uma editora traz visibilidade e credibilidade ao seu trabalho e provavelmente (se a editora for séria) vai fazer os serviços editoriais – capa, revisão, diagramação, distribuição, divulgação etc. A auto-publicação é rápida, barata e você, tecnicamente, ganha mais, devido à percentagem de direitos autorais. O que eu digo? Trabalhe com as duas opções, especialmente se ainda está no início de sua carreira. É claro que se você conseguir uma publicação numa editora enorme e várias traduções em outros idiomas, bem, talvez você possa sentar, relaxar e tomar um drinque à beira-mar. Mas isso provavelmente está longe de acontecer, então trabalhe muito. Ao mesmo tempo que envia seu romance (também muito bem revisado, lembre-se disso – não espere pela revisão da editora, é claro que ele vai passar por uma lá, mas o seu trabalho tem que estar bom quando chegar na mesa ou na caixa de entrada do editor) para várias editoras, ao mesmo tempo que participa de seleções para antologias, continue se auto-publicando! Inclusive, as editoras podem enxergá-lo se você fizer sucesso independente. As vendas na Amazon, as leituras no Wattpad, tudo isso gera burburinho no mercado e contam pontos em seu currículo literário.

Meu texto está pronto e tenho uma capa, e agora?

  • Como formatar um e-book?
  • Como fazer o cadastro no KDP?
  • Como publicar e divulgar? 

Bem, isso é assunto para o próximo post. Fiquem ligados aqui no blog e obrigada pela leitura! 😉

Conheça meus e-books publicados na Amazon!

Anúncios
Comments
3 Responses to “Como publicar um e-book na Amazon #1 – As Vantagens”
  1. Oi, Karen.

    Ótimo post para quem está iniciando no mundo da escrita (diferente de você, que pra mim é uma grande escritora, pare de dizer o contrário), assim como eu.

    A auto-publicação é algo que prezo muito, não só como pretenso escritor, mas como leitor. Conheci grandes obras assim e fiz amizades maravilhosas.

    A questão da leitura crítica é muito importante. Quando comecei a escrever (praticamente ontem), me iludi que tinha algo bom por ter leitores beta condescendentes demais. Quem tem uma beta/revisora como você é abençoado. Você sempre emitiu uma opinião sincera sobre o que leu meu, e valorizo muito isso. Mesmo sendo opiniões negativas, só me faz gostar mais de você. Tem gente que não aceita críticas, esse tipo de pessoa nunca vai evoluir. Hoje tenho clareza de que estou engatinhando e começo a rever as cagadas que fiz no passado, mas fico feliz por perceber isso, criar um senso crítico um pouco melhor. E conselhos seus (de quem sou fã declarado) são sempre valiosos.

    Divaguei, né?

    Beijo

    Curtido por 1 pessoa

  2. Sandro Moura disse:

    Adorei o post, todos os aspirantes a escritores precisam de apoio e você faz isso de bom grado Karen. Obrigado mesmo.
    Contribuindo um pouco com dicas, existem dois editores de imagens gratuitos que uso, são inferiores aos pagos, mas pelo menos não é pirataria. Esses Freewares são Gimp ( Similar ao Photoshop) e o Inkscape ( similar ao Corel Drawn ). Acho eles interessantes, é um pouco trabalhoso mexer neles no começo, mas depois que se pega o jeito dá pra fazer um bom trabalho.

    Abraços
    Sandro Moura

    E para fazer as capas

    Curtido por 1 pessoa

  3. Carina Pilar disse:

    Oi Karen!

    Excelente post! Eu tô começando nesse mundo da auto publicação e estou adorando! Poder ter controle sobre todo o processo é super bacana! Claro que, ia adorar demais ver um livro meu publicado, mas para inicio estou achando ótimo! =)

    Quanto ao Photoshop, devo dizer que acabei me rendendo… A Adobe tem um plano agora mensal, custa apenas R$ 22 por mês, vale a pena pela qualidade do programa! Eu uso bastante para o blog e os livros, então não me imagino usando outra coisa…

    Bjs!
    CarinaPilar.com | …e a paixão pelos livros!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: