Top Dez: As melhores leituras de 2014

Mais um ano terminando! E, como não poderia deixar de ser, foi um ano de muito trabalho, muita escrita, meu primeiro romance e… MUITAS LEITURAS! Claro, afinal, um escritor é, antes de tudo, um leitor compulsivo! Esperei até chegarem os últimos dias do ano porque mesmo nesses últimos dias estou terminando livros e quem sabe se o último livro do ano não vai ser um dos melhores, certo?

Pois então, aí vai a minha lista com as dez melhores leituras do ano. Não vou dizer que são “os dez melhores livros do ano”, porque sei que existem muitos livros bons que ainda não li, mas apenas são as minhas melhores leituras de 2014. Recomendo todas e tem resenha da maioria lá no Por Essas Páginas, só clicar no “resenha” ao lado do título! 🙂

Ps.: também é bom lembrar que essa lista não segue uma ordem; se já foi difícil escolher apenas dez livros, imagina dizer qual foi o melhor, o segundo melhor… querem me deixar doida?

BRILHOMENINOHERDEIROSTEMPODIAS

Brilho, Amy Kathleen Ryan (leia a resenha)

O primeiro livro da série Em Busca de um Novo Mundo é para conquistar o leitor logo de cara. Com uma trama intrigante, personagens complexos e extremamente reais, Brilho vai muito além de seus gêneros – YA e ficção científica – e traz ação, aventura, romance, religião e política, questionando a sociedade humana e rompendo tabus. Se você não leu, precisa ler agora mesmo.

Menino de Ouro, Abigail Tarttelin (leia a resenha)

Um livro que fala sobre um tema difícil e muito delicado: intersexualidade. Max, o personagem principal, é um jovem que possui ambos os sexos. Você já parou para pensar o quanto a sexualidade nos define como pessoas? Mas esse é livro que também vai muito além do seu tema; ao redor do mesmo, a autora constrói uma história profunda e sensível sobre uma família que apenas busca a melhor maneira de lidar com essa situação, e sobre um jovem que procura descobrir a si mesmo.

Clube dos Herdeiros, Fabiana Madruga (leia a resenha)

Esse livro ainda não foi lançado, é uma das promessas da Draco para 2015, mas eu o li lá pro começo do ano. Um romance carioca da gema, com personagens que vão conquistá-lo na primeira página. Mas um romance, Karen? Você não é a pessoa mais romântica do universo. Exatamente, pessoal. Eu não sou romântica, torço o nariz para vários romances… mas amei esse. Agora pensem: se um livro como esse conquistou uma pessoa chata para romances como eu, o que ele pode fazer com pessoas que amam o gênero?

O Ladrão do TempoJohn Boyne (leia a resenha)

Um livro para a vida. Foi meu primeiro contato com a obra de John Boyne e já me fez ficar apaixonada pelo autor. Com uma escrita habilidosa, ele transforma mais de 500 páginas em uma brisa e faz com que o leitor chegue ao final delas triste por terem acabado. John Boyne passeia pela história, misturando ficção e realidade de uma maneira impressionante e extremamente rica. Daqueles livros que você não vai largar até terminar e depois vai querer recomendar pra todo mundo ler.

Dias PerfeitosRaphael Montes (leia a resenha)

Extremamente perturbador e angustiante, Dias Perfeitos certamente é daqueles livros impossíveis de esquecer. Você sempre vai se lembrar dele – e sempre com um arrepio desagradável na espinha. Mas a escrita é de tirar o fôlego e conduz o leitor em uma teia inexorável de acontecimentos chocantes que, ao mesmo tempo, fazem refletir. Não gostei do final, foi amargo e terrível demais, mas sei que ele deixou esse livro psicótico ainda mais brilhante.

TESTEARISTOTELESLEITENÉVOAALIENADO

O TesteJoelle Charbonneau (leia a resenha)

Você olha para distopias e pensa: sério, mais uma? Bem, pense novamente. Eu quase não li esse livro justamente por pensar assim e quase perco um dos livros mais espetaculares da minha vida. Com uma escrita envolvente e muito, muito inteligente, a autora consegue reinventar um tema batido e deixá-lo novamente instigante. Os personagens são reais e a todo momento você sente que todos eles correm perigo. Tem que ler.

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo, Benjamin Alire Sáenz (leia a resenha)

Esse livro talvez seja um dos mais tocantes dessa lista. Sensível da primeira à última página, ele fala sobre amizade, amor, família e amadurecimento com uma ternura tão grande que é impossível não se comover. Repleto de referências dos anos 80 e 90, é certamente um dos meus livros favoritos para a vida toda.

a cor do leite, Nell Leyshon (leia a resenha)

Ok, eu falei que não ia dizer qual era o melhor livro do ano, porque, afinal, são todos bem diferentes nessa lista, mas esse… esse livro. Ah, ele é perfeito. Com uma escrita ambiciosa e original, que poderia dar totalmente errado, a cor do leite dá muito, muito certo. Sensível, mas brutal, belíssimo, mas também visceral… feminista e extremamente humano. Não tem como não se emocionar, não tem como não lamentar que a realidade desse livro ainda seja a nossa realidade, em pequena ou maior escala, aqui ou em outros lugares.

O Príncipe da Névoa, Carlos Ruiz Zafón (leia a resenha)

Como deixar de fora dessa lista um livro desse que é um dos meus autores favoritos? Zafón é sempre magnífico em suas obras. A gente até economiza na leitura dessas obras primas porque ele não escreve mais livros há um tempão! Mas, enfim, esse foi o seu primeiríssimo romance e é um dos seus juvenis, mas que toca também corações mais maduros. Mistura vários gêneros em um único livro, mas traz consigo a essência e a escrita inigualável desse autor que sempre, sempre, emociona.

O AlienadoCirilo S. Lemos (resenha em breve no Por Essas Páginas)

Por livros como esse que foi melhor esperar até o finalzinho do ano para poder escrever essa lista. Li O Alienado há poucos dias e fiquei impressionada como um algo tão abstrato, tão surreal e tão… MALUCO conseguiu me conquistar dessa maneira. Vejam bem, sou uma pessoa bem concreta; claro que leio e escrevo coisas fantásticas e sobrenaturais, mas sempre gosto de manter meus pés no chão. O Alienado, no entanto, é uma viagem enlouquecedora por uma mente brilhante e atormentada. Mas uma viagem muito boa.

Bônus

Os três melhores contos do ano

ARISTOCRACIASILENCIOTRASGO

Aristocracia Perdida, de Fabiana Madruga, é o prólogo de Clube dos Herdeiros, com a mesma pegada do livro e uma escrita fascinante, impossível não se apaixonar. (leia a resenha)

O Silêncio do Mundo, de Melissa de Sá, é um conto extremamente sensível e melancólico, que consegue estruturar de maneira brilhante uma distopia dentro de uma história curta. Cheio de referências nerds, é uma leitura deliciosa. (leia a resenha)

O Homem Atômico, de Cristina Lasaitis, é um conto repleto de sarcasmo e com uma crítica social feroz, com um toque rebuscado, mas muito fluido, que me impressionou. A narração é incrível e me fez procurar outros trabalhos da autora. Você pode ler o conto de graça na Revista Trasgo #2. (leia a resenha)

E vocês? Quais foram as suas melhores leituras de 2014? Ficaria muito feliz em saber que Alameda dos Pesadelos ou qualquer outro dos meus livros está na lista de algum de vocês!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: