No final do túnel [Um Ano de Medo]

Tudo o que eu via era um túnel negro, escuro e brilhante.

Não havia luz no final do túnel.

Havia sim uma escuridão infinita que significava morte e medo. Um medo paralisante que me impedia de falar e gesticular, e eu tinha tanto, tanto a dizer…

O túnel era um cano longo, preto e liso de uma pistola.

Aquilo não fazia sentido algum. Meu marido, meu próprio marido, apontava uma arma para mim, os olhos frios e estreitos, decididos, enquanto eu me encontrava sentada na cama, paralisada de terror.

Paralisada de verdade.

Eu não conseguia gritar, nem falar, nem ao menos me mexer. Os pensamentos corriam velozes na minha mente em contraponto à minha letargia. Eu queria perguntar o que estava acontecendo, por que ele estava fazendo aquilo? Nós nos amávamos, não? Eu o amava, amava muito. Tínhamos nossos problemas, é claro, mas os momentos felizes superavam os problemas. Então por que ele fazia isso? Era algum tipo de brincadeira? Era para me assustar? Nós riríamos disso depois? E por que, por que eu não conseguia me mexer nem dizer tudo o que se passava na minha cabeça?

Eu só queria entender…

Aquela sensação de paralisia era o pior. Não poder fazer nada e assistir calada àquela cena era sufocante, era uma tortura talvez pior do que a morte. Meus lábios tremiam, eu toda tremia, mas nada acontecia. Sentia as lágrimas quentes no meu rosto, enquanto, aturdida, apenas suplicava com os olhos que me respondesse…

Ouvi o clique da arma sendo destrancada. A mão dele estava firme. Seus olhos não tinham sentimento. Ele não sorria.

Fechei os olhos antes de acontecer.

BUM.

Abri os olhos.

O quarto estava escuro. Meu coração batia depressa. Sentei-me, horrorizada. Ainda tremia. Podia quase sentir a dor no peito, o sangue quente escorrendo, o cheiro de carne queimada. Olhei para o lado, meu marido dormia um sono tranquilo, sem saber que o pesadelo que me afligira tinha tudo a ver com ele.

Voltei a me deitar. Abracei-o e me aconcheguei atrás dele, tentando sentir seu calor, tentando colocar na minha cabeça que fora apenas um sonho.

No entanto, o celular dele piscava avisando que havia uma nova mensagem. E a mensagem, remetida por uma mulher, dizia:

Termine de uma vez com isso senão eu acabo tudo com você. Acabe com ela de uma vez por todas.

Conto originalmente publicado no Projeto Um Ano de Medo.

capa

“No final do túnel” é um dos contos publicados na antologia Horror em Gotas, à venda na Amazon por apenas R$ 1,99. Para adquirir o livro, clique aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: