Cerimônia de entrega do Prêmio Sesc/DF de Crônicas Rubem Braga

Terça-feira retrasada – há mais de um semana, sim, demorei tudo isso para postar – eu estava viajando para Brasília, capital do nosso Brasilzão, para receber um prêmio – que ainda não sabia qual era a colocação – do Concurso de Literatura do Sesc/DF. Eu apenas sabia que o prêmio seria para uma crônica minha, escrita no final do ano passado, intitulada “Essa tal nova Opinião”.

DSC02287Não que eu acreditasse muito que uma crônica minha ganharia alguma coisa, ainda mais um prêmio nacional! Estava crente que o prêmio seria para um conto (também tentei a categoria Contos Infantis). Porém, foi a surpresa quando descobri. Uma crônica, ora essa! Fantástico!

Foi a primeira vez que andei de avião também. Muitos de vocês já devem saber como é a sensação, mas enfim, foiDSC02108 maravilhoso ver o mundo mais pertinho do céu. Acima das nuvens, o sol sempre está brilhando. Isso me fez pensar que algumas vezes a vida também é assim: a gente só precisa olhar acima das nuvens – lá não existem tem problemas, todos eles se transformam em formiguinhas, quase invisíveis, lá no chão, tão longe que são esquecidos.

Desembarcamos no Aeroporto Juscelino Kubitschek (lá em Brasília é tudo sobre ele, o J.K. – e não é a Rowling!). Viajei com meu marido e meu pai, os dois tietando mulher e filha (risos). No aeroporto, a equipe do SESC estava aguardando os premiados e seus acompanhantes para nos acompanhar até o hotel reservado. Sim, eu ganhei, além da premiação, uma estadia em um hotel chique em Brasília e as passagens. Adorei essa “vida de escritora”!

DSC02173Durante a tarde, aproveitei para conhecer os pontos turísticos e arquitetônicos da cidade. Ou seja, vi todos aqueles locais que aparecem – na maioria das vezes – em escândalos na tevê. Esplanada dos Ministérios, Congresso Nacional, Praça dos Três Poderes, Palácio Itamaraty e até mesmo a casa da Dilma a.k.a. Palácio da Alvorada. A arquitetura de Oscar Niemeyer é realmente tudo o que dizem – esplêndida.

Mas afinal, não estávamos lá a passeio, e a noite era o grande momento esperado. A cerimônia de premiação do SESC começou um pouco depois das 20 horas. A sala estava bem cheia e, enquanto o evento não começava, aproveitamos para bater um papo entre os escritores no saguão. Conheci escritores talentosíssimos e muito simpáticos, como a querida Kiara Domit, Hudson Okada, André Kondo, Lauro Elme, João Paulo Hergesel, Thiago Majolo e muitos outros (que peço desculpas por não colocar todos os nomes). Descobri que, além da alegria que é ganhar um prêmio como esse, outra felicidade é encontrar gente tão bacana e talentosa e bater um papo gostoso sobre o que amamos: a escrita, a literatura, os livros!DSC02289

A sala estava cheia. Quando a cerimônia começou, eu mal podia conter a ansiedade. Meu prêmio foi o último a ser entregue, já que ele era novo e especial: foi a primeira vez que o SESC realizou uma premiação de crônicas e justamente por ser o centenário do grande Rubem Braga, o homenageado da noite. Um ator declamava belamente as crônicas e algumas vezes comentava sobre Rubem Braga, algumas passagens dele e de sua vida. Foi maravilhoso.

DSC02292Todos os autores premiados e as menções honrosas apareciam em um telão, com suas fotos e respectivos prêmio e título da obra. Quando minha foto apareceu, minhas mãos estavam geladas. Logo depois, fui chamada ao palco para receber meu prêmio, um troféu lindo que agora está orgulhosamente enfeitando minha sala. Peguei um maravilhoso 3.º lugar em um prêmio nacional, por algo que eu nem esperava: uma crônica! Falei em público (que vergonha!), mas eu precisava falar… precisava falar de uma pessoa especial que me deixou esse ano, que com certeza estaria lá na premiação se pudesse. Falei de minha mãe, falecida em agosto desse ano, e que deixou um enorme vazio aqui no peito, de amor e saudade. Uma das últimas coisas que ela me disse foi para jamais abandonar meus sonhos, e mãe, é exatamente isso que estou fazendo. E foi isso que eu disse lá na frente, para todas aquelas pessoas, quando recebi meu prêmio.DSC02293

DSC02317Após a cerimônia o SESC ofereceu um coquetel aconchegante para os presentes, o que foi uma ótima oportunidade para confraternizar com os demais escritores. Porém, não satisfeitos, alguns de nós fomos a um barzinho após a cerimônia, comemorar e conversar muito a respeito de literatura. Lá ganhei alguns livros muito especiais de vários autores presentes na comemoração, todos autografados! Estão todos aqui, na minha estante, preciosos, e vou aproveitar para resenhá-los na minha coluna nacional A Cuca Recomenda no blog Por Essas Páginas.DSC02295

Espero que essa experiência magnífica se repita muitas vezes, em várias ocasiões e lugares no Brasil (quem sabe?). A minha crônica também será editada em uma coletânea do SESC, em 2013, e quando isso acontecer posto aqui para vocês. Quanto à crônica, ainda estou verificando com o SESC se posso publicá-la no blog, devido à cessão de direitos autorais, e se possível postarei aqui para vocês.

Para ver a lista de todos os premiados e suas obras cliquem aqui no site do SESC/DF.

Para ver mais fotos, curtam e visitem minha página no Facebook.

DSC02314

O troféu!

Anúncios
Comments
One Response to “Cerimônia de entrega do Prêmio Sesc/DF de Crônicas Rubem Braga”
  1. Kakazinha, que coisa mais linda! Fiquei emocionada aqui. Eu sei que já falei isso trezentas mil vezes, mas você merece muito. Tenho certeza que virão ainda muitos prêmios, viagens, autográfos e conversas de escritores em barzinhos por aí…

    🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: